sexta-feira, 17 de setembro de 2010

CA(O)MPEÃO...

Os meus avós têm dois cães, ambos resgatados de condições menos próprias para terem um Lar.

O segundo cão já foi recebido por nós em adulto. Pelos vistos o animal fazia umas horas extra no Circo e anda a brincar com os cabelos brancos dos meus avózinhos.

Ora vejamos, o canil onde estão tem um muro e uma rede com mais de 2 metros de altura e o canito tem um porte médio, não é nenhum São Bernardo.

Ao fim de uma semaninha lá em casa o bicho trepou a rede do canil e foi dar uma volta pelas redondezas. Lá andamos todos à procura dele, com medo que fosse atropelado.
Repetiu a brincadeira duas vezes até que lhe pusemos uma corrente presa à coleira para que andasse à sua vontade no canil mas não fugisse.

Algumas semanas depois a coleira encontrava-se presa à corrente mas do cão....nada. Fomos encontra-lo no estúdio de gravação que existe lá perto (quer ser actor).

Subimos um furo na coleira...e adivinhem? Fugiu novamente....
Subimos outro...e lá foi ele...
(...)
A semana passada conseguimos visualizar o modus operandi do sobrinho do MacGyver. Ora ele enfia as patas entre a coleira e o pescoço, torce-se todo e solta-se, depois dá duas corridas no canil, ganha balanço e salta a rede à primeira...e lá vai ele todo lampeiro.

Mas já regressa à hora de almoço, senta-se à porta e fica à espera de ser servido.

Não querendo esganar o cão, pusemos a coleira no último furo presa por trás das orelhas e estão proibidos os canivetes, pauzinhos e chaves de fendas num raio de 5 metros...não vá ele ter polegares escondidos.

3 comentários:

  1. O meu cão é igual, é preciso montes de cuidado para não fugir.

    ResponderEliminar
  2. Lol os cão são mais inteligentes que muito boa gente :D

    *

    ResponderEliminar